Projeto

O projeto, da autoria da arquiteta Ana Bacelar, partiu de uma ideia de reinterpretação do edifício original, adequando-o ao novo programa de arquivo municipal. A arquiteta procurou recuperar a harmonia exterior do edifício, com a reabertura de portas e janelas que haviam sido tapadas, e manter, no essencial, a organização interior, de acordo com as necessidades de funcionamento do arquivo, separando as áreas públicas das áreas técnicas.

O edifício compreende três zonas distintas:

Área de Depósitos - locais de conservação dos documentos;

Área técnica (locais de trabalho não abertos ao público) - sala de receção/eliminação; sala de limpeza e expurgo; sala de tratamento arquivístico; sala de conservação e restauro; sala de reprodução de documentos;

Área do público (locais abertos ao público) - receção, sala de leitura, biblioteca de referência/espaço Internet, sala do serviço educativo, sala de exposições.

Financiamento