Fernando Paúl: uma vida dedicada à fotografia

Fernando Paúl, sobre o qual se assinala este ano o centenário do seu nascimento, fotografou tudo, ou quase tudo, o que havia para fotografar: pessoas, património, paisagens, o espaço urbano, as vivências e as transformações do concelho ao longo das décadas em que desenvolveu a sua atividade. No âmbito do centenário do seu nascimento, a autarquia de Oliveira de Azeméis lançou a exposição fotográfica “Imagens de quem somos! Pela objetiva de Fernando Paúl”, que estará patente na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro, de 12 de outubro a 8 de novembro. O fotógrafo oliveirense nasceu a 10 de fevereiro de 1922, deu continuidade ao estúdio do seu pai (Foto Paúl) e nunca deixou de fotografar até falecer a 11 de setembro de 2000. 

Aprendeu a arte com o seu pai, o mestre Eduardo Paúl, que decidira fixar-se em Oliveira de Azeméis e fundar a “Foto Paúl”.

Não haverá oliveirense nenhum que não saiba, ou que nunca tenha ouvido falar de, Fernando Paúl, associando esta figura à arte fotográfica, quer através da fotografia no espaço público, quer do trabalho em estúdio (retratos).


Foi com grande mestria que captou monumentos, objetos, pessoas, manifestações culturais e sociais. O seu trabalho permitiu deixar aos oliveirenses um legado cultural e patrimonial, importante para o conhecimento das mudanças que o concelho sofreu ao longo do século XX.

O seu acervo foi doado ao município pela filha, Dra. Branca Paúl, tendo o arquivo municipal desenvolvido um trabalho de conservação, inventariação, digitalização e divulgação através da plataforma Arquivo Digital e redes sociais institucionais.

O equipamento, do qual se destacam as máquinas fotográficas antigas, a banca de revelação, os ampliadores, as esmaltadeiras e o material de retoque, fazem parte da exposição permanente “Do estúdio ao laboratório”, patente no arquivo municipal.

Financiamento